Projeto “Vida Sim” disponibiliza serviços psicológicos 24 horas no Hospital de Emergência

A intenção do projeto é oferecer à população amapaense suporte 24 horas com atendimento psicológico e de assistência social na unidade

O Hospital de Emergência (HE), em Macapá, desde 2018, por meio do projeto “Vida Sim” oferece serviços de atendimento psicológico para situações de urgência e emergência, tais como depressão, crises de ansiedade, abuso ou qualquer outra espécie de violência e traumas psicológicos, além de tentativas de suicídio.

CONHEÇA O CANAL DO CATRAIA DIGITAL NO TWITTER. CLIQUE E SIGA!

O “Vida Sim” tem como finalidade proporcionar assistência 24 horas para as pessoas que precisarem de serviços psicológicos e de assistência social na unidade. Com a expansão desse serviço, além da equipe multiprofissional realizar diagnósticos para os sintomas e dores físicas, as equipes também se mantêm em alerta para as reações emocionais.

A equipe primeiramente faz um acolhimento e após isso, identifica a necessidade de chamar autoridades competentes. Se houver comprovação de algum tipo de violência física, é realizado o encaminhamento a fim de que o paciente seja incluído nas redes de serviço como os Centros de Apoio Psíquico Social (CAPS), onde irá receber um apoio maior para tratar possíveis transtornos psicológicos.

“Somos a porta de entrada do paciente na rede, quando o médico identifica algum caso em que haja a necessidade de passar pela psicologia, ele encaminha, mas o primeiro atendimento é sempre o clínico”, expõe o psicólogo do HE, Sandoval Paes.

Há circunstâncias em que existe a necessidade de internação clínica, então o paciente é estabilizado e enviado para o setor de psiquiatria do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal).

Através do projeto Vida Sim foram atendidas quase 200 pessoas, desde janeiro até agosto desse ano.

SIGA O CATRAIA DIGITAL NO INSTAGRAM!

“A demanda aumentou, e precisávamos ter esse fluxo para que o paciente possa ter o encaminhamento para uma rede de apoio onde possa dar continuidade ao atendimento, afinal são doenças que atingem todas as faixas etárias e esses pacientes precisam saber que não estão sozinhos e que eles têm onde buscar atendimento”, disse Sandoval.

Facebook Comments Box
Letícia da Paz

Letícia da Paz

Acadêmica de jornalismo na Universidade Federal do Amapá e colaboradora no site Catraia Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.